VHC a vanguarda da Viga nas Estruturas

Com a solução inovadora da Viga Híbrida Composta (VHC) torna-se possível executar em tempo record, estruturas porticadas de dimensões consideráveis e elevada vida útil, utilizando poucos recursos e mão-de-obra não especializada.

Desenvolvida por John Hillman, a VHC consiste numa tecnologia inovadora de execução de vigas em betão, combinando as vantagens de diversos materiais como o betão, armaduras de aço e materiais compósitos. Estas vigas são compostas por quatro componentes principais:

  • Um elemento de compressão em forma de arco, constituído por betão envolvido com materiais compósitos;
  • Um elemento de tração composto por laminados ou barras de aço de alta resistência ou materiais compósitos posicionados na zona tracionada da viga;
  • Enchimento dos espaços vazios da viga com material leve e inerte;
  • Uma “casca” em materiais compósitos (fibre reinforced polymers, FRP) que envolve e protege todos os componentes anteriores, incrementando resistência à viga.
Constituição da Viga Híbrida Composta (VHC)


Esta tecnologia foi patenteada em 2000, tendo sido premiada pela inovação desta nova combinação de materiais em 2010 pela Engineering News-Record. Recentemente, a Viga Híbrida Composta (VHC) tem ganho especial importância no continente americano para soluções de vigas em pontes rodoviárias, ferroviárias e infraestruturas portuárias.

Vantagens da VHC:

  • Rapidez de execução;
  • Mais leve/menos material aplicado;
  • Mais ecológico/sustentável;
  • Maior durabilidade;
  • Resistente à fendilhação do betão e oxidação das armaduras metálicas;
  • Custo global equivalente às soluções tradicionais;
  • Prescindem da utilização de guindastes e grua de grande porte;
  • Possibilidade de transporte através de camião.
Desvantagens da VHC:

  • Materiais compósitos onerosos, no entanto, com reduzida relevância no custo global da tecnologia, comparativamente às soluções tradicionais.

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=wwIw5DWw2Wo
© DDN - Copyright 2019 | Privacidade
Developed by
OPTIMIZING CONCEPTS
Voltar ao topo