Tecnologia RFID na Construção Civil

A tecnologia RFID (Radio-Frequency IDentification) consiste na captura automática de dados para a identificação, localização e monitorização de pessoas ou objetos, desde que estejam equipados com etiquetas eletrónicas, mais conhecidas como tags ou transponders, que operam em determinadas frequências de rádio. A utilização desta tecnologia na construção civil vem otimizar a gestão da saúde, da segurança e da logística na obra.

O setor da construção civil é usualmente confrontado com uma série de problemas relacionados com a saúde, segurança e logística nas obras. Estes problemas afetam a produtividade e a qualidade da construção, tornando-se necessário inovar e implementar tecnologias de informação e comunicação.

A capacidade de identificação e localização associada à RFID, faz com que esta tecnologia tenha um alargado interesse na indústria e no comércio, uma vez que pode ter aplicações em diversas áreas, desde a organização e localização de stocks, até à monitorização de pessoas e bens, entre outros.
Na construção civil, a tecnologia RFID está a ser implementada com sucesso no controlo de acessos, sistemas de aviso de proximidade, rastreamento de materiais, controlo da produção, armazenamento e localização de materiais e manutenção de edifícios, tendo apresentado bastantes benefícios, tais como, uma melhor organização da obra, o controlo em tempo real dos processos e materiais e a diminuição dos acidentes de trabalho.
 
O custo de um sistema RFID tem um valor muito variável, dependendo do tipo de aplicação e da dimensão da mesma, logo não é possível atribuir um valor concreto para um sistema genérico. Porém, face ao custo de uma empreitada, o seu preço não é relevante, tendo ainda como vantagens, a possibilidade de ser reutilizado noutras empreitadas e apresentar um custo reduzido, em caso de necessidade de ampliação do sistema. 
 
 
 
Site pesquisado: https://sigarra.up.pt/fep/pt/pub_geral.show_file?pi_doc_id=110922
© DDN - Copyright 2020 | Privacidade
Developed by
OPTIMIZING CONCEPTS
Voltar ao topo